TeLima traz trap cheio de sintetizadores em “Tayrona”

Faixa leva o nome de ilha paradisíaca da Colômbia para falar sobre obstáculos na busca pela paz

Link para as plataformas

“Queria largar tudo e ir pra Colômbia, viver na ilha”. O verso faz parte de “Tayrona”, lugar paradisíaco que dá título ao novo single de TeLima. Em um trap inspirado por sons dos anos 80, o artista reflete sobre a busca pela paz e a necessidade de extravasar para sair da rotina.

Com produção de Delli Beatz e mixagem de Drakoz, a faixa nasceu em uma sessão de estúdio e com a vontade de integrar sintetizadores a um som enérgico. TeLima conta que tem o hábito de ouvir muitas músicas dos anos 80 quando “está com o ouvido saturado do que fica remoendo o tempo todo na rádio” e quis criar uma música que remetesse ao sentimento de nostalgia que sente nesses álbuns, mas com elementos modernos e uma letra que fala sobre extravasar.

“Acredito que todo mundo já deve ter passado por uma situação em que estava exausto da rotina ou só precisava de um tempo de paz, e essa música é sobre esse sentimento, com uma vontade imensa e enérgica de largar tudo e ir pra algum lugar só se sentir bem. O sentimento que eu quero passar pro pessoal é esse, de se sentir extravasando, e conseguir sentir essa energia positiva que a música tem, meio que uma viagem pra algum lugar paradisíaco”, conta TeLima.

A música também traz uma reflexão sobre as escolhas que fazemos na vida e sobre a “preguiça de fazer dar certo”. Para o artista, a letra também aborda questões como karma, a busca pela própria paz e assumir responsabilidade pelas coisas que acontecem na própria vida.

“Às vezes a gente tá com problema de se reconciliar com uma pessoa, ou de relacionamento, ou com amigos, e em uma conversa curta já está brigando. Isso pode ser uma preguiça de dar certo, de fazer tudo ficar em paz. De repente, a gente tá com preguiça de achar a nossa paz e aquela vontade de largar tudo fica ali na hora em que a gente encontra alguns embates, que são só questão de paciência”, reflete.

Sobre 

Alexandre Teixeira de Lima, o TeLima, nasceu e foi criado em Santa Maria. Começou a trilhar seu caminho na música ainda no Ensino Médio, na época, como uma brincadeira ao lado dos colegas. Ali, surgiram as primeiras canções autorais, que se popularizaram com a galera da escola. Mas, esse amor pela música teve início bem antes, graças aos primeiros acordes que ouvia em casa. A mãe sempre foi fã de Michael Jackson (1958 – 2009), e o pai de Elvis Presley (1935 – 1977).

Assim, TeLima cresceu ouvindo tanto o rei do Pop quanto o rei do Rock, que foram influências essenciais para sua criatividade no universo da música. O início de sua carreira solo foi com a Demo “WAVES” que, mesmo gravada em um homestudio e com pouco recurso, atingiu mais de 100 mil visualizações e direcionou o estilo que o artista seguiria imerso dentro do Rap/Trap.

Apesar de estar começando, seu nome ficou conhecido rapidamente dentro do movimento e dos bastidores após viralizar durante a pandemia enquanto fazia lives mostrando suas composições. Com isso, chamou atenção dos maiores artistas do gênero. Pelos seus flows, melodias e escrita com teor mais lírico e temas não tão abordados no trap atual.

O que ele chama de “Trap Lírico” é a junção perfeita de musicalidade do mainstream com underground, que traz referências do Rap e do Rock para o Trap. Fazendo com que sua música tenha potencial de agradar diferentes ouvintes de dentro e fora do nicho. TeLima acredita que pode, sim, puxar a fila desse novo movimento dentro do Trap, o “Trap Lírico”, que visa explorar diferentes musicalidades. Com intenção de  comunicar para diferentes grupos de jovens e trazer representatividade para as novas gerações de jovens, principalmente negros.

Ficha Técnica

Intérprete: TeLima

Composição: Alexandre Teixeira de Lima

Produção: Delli Beatz

Mix: Drakoz

Master: Drakoz


Fernanda Burzaca

fernanda@omim.cc

Ana Almeida

ana@omim.cc

Back To Top