Conheça as principais causas que levam crianças a realizarem cirurgias ortognáticas

SÃO PAULO, 30 de outubro de 2020 /PRNewswire/ — Os chamados pacientes pediátricos, também são um importante público para a Cirurgia e Traumatologia Bucomaxilofacial. Os atendimentos a esses pacientes podem estar relacionados às alterações congênitas, ou seja, alterações presentes no nascimento ou as adquiridas, que apareceram ao longo da vida.

“São casos desafiadores, e que necessitam do envolvimento de uma equipe multiprofissional, que além do cirurgião bucomaxilofacial, normalmente envolvem também cirurgiões plásticos, ortodontistas, pediatras e fonoaudiólogos. Hoje temos protocolos de atendimento a esses pacientes que são muito bem estabelecidos na literatura, para definir o melhor tipo de procedimento e época a ser realizado”, afirma.

Outras alterações podem aparecer com o passar da idade, como os casos de lesões, tumores e as alterações no desenvolvimento dos maxilares, e em ambos os casos, quanto antes diagnosticado, melhor é o prognóstico em relação ao tratamento. “Há casos em que podemos estabelecer procedimentos conservadores, como infiltração de medicação e uso de aparelhos que podem evitar no futuro a necessidade de uma cirurgia”, alerta o Dr. Fábio Sato.

No trauma facial, felizmente as crianças apresentam um processo de recuperação muito melhor do que os adultos, em comparação com casos de traumas que nos pacientes mais idosos são tratados de forma cirúrgica, nos pacientes pediátricos podem ser empregados tratamentos menos invasivos.

Entre as estruturas da face que podem ser afetadas nas crianças está a articulação temporomandibular, que pode também apresentar alteração de desenvolvimento, assim como casos de anquilose, que é quando ocorre a fusão da articulação com os demais ossos da face e a criança deixa de abrir a boca, normalmente decorrente de um trauma na região não tratado de forma adequada.

 De acordo com  Dr. Fábio Sato, existem poucos profissionais que se dedicam ao atendimento desses pacientes pediátricos dentro da sua especialidade. Os profissionais que seguem o caminho da cirurgia bucomaxilofacial normalmente focam sua prática profissional em atendimento de pacientes adultos, já os odontopediatras também não apresentam muito entusiasmo na realização de procedimentos cirúrgicos, e muitas vezes os pais não sabem muito bem a qual profissional recorrer, o que pode acabar atrasando o atendimento desses pacientes.

Sobre o Dr. Fábio Sato
Formado pela Odontologia na USP, é mestre e doutor em Cirurgia Bucomaxilofacial. Sua atuação é principalmente no tratamento da Disfunção Temporomandibular, Cirurgia Ortognática para Correção das Deformidades Dentofaciais, além de outros procedimentos como Enxertos Ósseos, Implantes Dentários e demais relacionados à área.

FONTE Dr. Fábio Sato

Créditos: PR Newswire