Vendas do comércio avançam 0,6% em RP

0 0
Read Time:3 Minute, 18 Second

13/05/22 11h38

Tribuna de Ribeirão

Depois da queda de 0,55% em janeiro, que interrompeu uma sequência de sete altas consecutivas, as vendas nas lojas ribeirão-pretanas regis­traram aumento de 2,5% em fevereiro. Os negócios dis­pararam 14,5% em março, mas, em abril, o avanço foi tímido, de 0,6% na compa­ração com o mesmo perío­do do ano passado.

As informações são do levantamento realizado pelo Centro de Pesquisas do Vare­jo (CPV), mantido pelo Sin­dicato do Comércio Varejista de Ribeirão e Região (Sinco­varp) – atende 43 cidades – e pela Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL RP), divulga­do nesta quarta-feira, 11 de maio. Na comparação entre abril e março deste ano, as vendas cresceram 5,6%.

Segundo o CPV, a alta de abril tem por base a retomada dos grandes eventos em Ri­beirão Preto, como o Ribeirão Rodeo Music, que atraiu mais de 150 mil pessoas para a cida­de, e onde foram negociados R$ 11,243 bilhões em vendas de máquinas agrícolas, de ir­rigação e de armazenagem. Neste ano, 193 mil pessoas vi­sitaram a feira.

Segundo estudo do Centro de Inteligência da Economia do Turismo (Ciet), da Secre­taria de Turismo e Viagens do Estado, 85,2% dos participan­tes eram de fora da Região Me­tropolitana de Ribeirão Preto, índice considerado elevado. Excluindo os moradores, mais de 135 mil pessoas de todo o país estiveram na feira, com im­pacto econômico – gastos totais dos turistas – de quase R$ 400 milhões em toda a região.

O gasto individual, no perí­odo, foi de R$ 2.901 por pessoa, totalizando R$ 391.635.000. De acordo com a pesquisa, 41,7% ficaram em hotéis da região. Além da feira e da hospedagem, as principais atividades e despesas foram com gastronomia (47,1%), compras (30,7%) e vida no­turna/bares (29,8%).

“São indicadores que con­firmam a continuidade do processo de recuperação do Varejo local e regional. Mes­mo com pressão inflacionária, renda fraca e juros elevados, o comércio continua a crescer e isso é muito importante”, anali­sa Diego Gali Alberto, pesqui­sador e coordenador do CPV.

Empregabilidade

Em abril, a variação média entre vagas abertas e fechadas, no Varejo de Ribeirão Preto, ficou positiva em 2%, apon­tando para uma estabilidade. “A retomada dos eventos de entretenimento e de negócios, acabou gerando mais contrata­ções no setor de serviços”, diz Diego Gali Alberto.

“A grande maioria dos co­merciantes preferiu trabalhar com as equipes que já têm do que contratar temporários. É uma forma de também segu­rar o custo fixo operacional e manter o fôlego até o segundo semestre”, explica o pesquisa­dor e coordenador do CPV.

Índice de Confiança

Questionados sobre qual a expectativa para o futuro dos negócios nos próximos três meses de 2022 (curto prazo), com base numa escala que vai de 1 a 5 pontos, em que 1 significa “muito pessimista” e 5 “muito otimista”, o Índice de Confiança do Varejo ficou em 3,4 pontos, considerado positivo, porém, menor que o registrado em março quando o indicador ficou em 4,3 pontos.

Na perspectiva de longo prazo (um ano) e com base na mesma escala, o Índice de Confiança ficou em 3,6 pon­tos, avaliado como positivo, mas também menor do que os 4,3 pontos registrados em março. “Entre março e abril os preços dos combustíveis subi­ram em decorrência da alta no preço internacional do barril de petróleo”, diz Gali Alberto.

“Isso aumentou a pressão inflacionária e diminuiu o poder de compra dos consu­midores. Essa é uma realidade mundial, desencadeada pela crise da pandemia de covid-19 e agravada pela guerra na Ucrânia. E com a possibilidade de termos muita turbulência até o final de 2022, por conta das eleições, os lojistas estão mais cautelosos em suas proje­ções”, finaliza.

Fonte: https://www.tribunaribeirao.com.br/site/vendas-do-comercio-avancam-06-em-rp/

Happy
Happy
0 %
Sad
Sad
0 %
Excited
Excited
0 %
Sleepy
Sleepy
0 %
Angry
Angry
0 %
Surprise
Surprise
0 %